Link-me!



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, de 36 a 45 anos, Italian, Spanish, Arte e cultura, Sexo
MSN -


Histórico:

- 01/03/2005 a 31/03/2005
- 01/02/2005 a 28/02/2005
- 01/01/2005 a 31/01/2005
- 01/12/2004 a 31/12/2004
- 01/11/2004 a 30/11/2004
- 01/10/2004 a 31/10/2004



Outros sites:

- UOL - O melhor conteúdo
- BOL - E-mail grátis
- Day By Day
- Azedinho Doce
- Aninha Meu Canto
- Moacir Caetano
- Seleção Natural
- Tormento & Incoerência
- Psicodelica
- Soninha
- Admirador Secreto
- Encantos
- Antonio Carlos
- Viva a Vida !
- Ariane
- Dora
- Mariza Lourenço
- Luis Alberto Machado
- Colcha de Retalhos
- Olivino
- Onommi
- Revelações
- Aninha Bubu
- Explorando...
- Amar ao Mar
- Ser Somente Uma Mulher
- Nada de Novo
- João Paulo* Um poeta especial
- Musa Virtual*



Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


eXTReMe Tracker

BlogRating

Contador:

Layout:




Amigos,

Fiz outro canto, e espero por vcs lá

  http://versos.corpos.zip.net/

O site Também já esta  no ar... Começando...

  http://outra.face.nom.br/

Saudades de vocês todos!

Beijos no coração de cada  um de vocês!

Paula        



- Postado por: Paula às 13h32
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Quando os sentimentos são claros, me perco...Não sei lidar com a bondade, me confundo quando o branco é branco.

E me acho perfeitamente capaz quando vivo no labirinto... Porque?

Gostaria de saber o que me trás para o chão, ou melhor, gostaria de viver normalmente.

Vivemos assim?

Quando ele fala te adoro, te desejo e está sempre disponível, penso isso é verdade... É branco, e você nunca acreditou que é branco.

Mas se olhar para trás vai ver aquele monte de saídas, cores confusas... Eu penso, é simples, basta pensar na saída, e deliro com a busca.

Busca?

Não sei se sou canceriana ou se sou geminiana, sou como gata que vive com medo.

Confusa...

Quando a tranqüilidade vem não sei poetar, não escrevo, e não trabalho... Logo digo, não sei onde estou.

Logo insisto em quebrar toda possibilidade de um amor normal.

Stop...

E me lembro, poetas precisam de dor, de perdas, para somar ganhos.

Precisam ser espetados, para que saia tudo como grito.

E hoje não quero gritar, nem sentir dor, quero o simples, a paz, o silencio.

Estou com medo, porque sei que não vou prosseguir, e o que gostaria é justamente o contrario.

Estou com medo, porque não consigo gritar.

Tirar roupas

E lavar minha alma...

E ter um amor normal, sentada na praça, tomando um sorvete...

Feliz com a descoberta, que o amor, não é jogo, e nem tudo são peças que você move...

Simplesmente  se sente

Ama

E vive...

Paula Barros

 

 

 



- Postado por: Paula às 01h25
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________